Resenha: “Constantine” – Primeira Temporada (2014).

noticias_14358_constantine-serie-nbc-thumb

Cínico, sarcástico, fumante, desprezível e mestre nas artes ocultas. Esses são apenas alguns predicados atribuídos a John Constantine, desde a sua criação em meados dos anos 80. Na revista número 37 de junho de 1985, o personagem com as feições do cantor Sting fez sua estreia graças ao talento de Alan Moore, Stephen Bissette e John Totleben. Depois o personagem se consagrou em sua própria série Hellblazer para o selo de quadrinhos adultos da DC Comics, Vertigo.

Desde então, roteiristas e desenhistas têm criado assombrosos e emocionantes contos do personagem britânico, cheios de mistérios, magia e demônios sedentos de almas. O sucesso foi tanto que ele ganhou uma versão cinematográfica com Keanu Reeves em 2005 (que muitos consideram bem distante do conceito original) e sua entrada finalmente no universo regular da editora em razão da saga Os Novos 52.

O “novo” Constantine mantém muitos aspectos das revistas Vertigo, mas agora, interage não só com criaturas sombrias, como também ao lado de heróis como Batman e Superman. Chegou até mesmo a fazer parte da Liga da Justiça Sombria, um grupo de heróis com poderes mágicos, junto com Zatanna e o demônio Etrigan.

hellblazer-184

John Constantine na série de quadrinhos Hellblazer.

É justamente essa versão heroica do personagem que deu origem à série produzida pela NBC em parceria com a Warner. Dentre os produtores executivos está David S. Goyer, conhecido adaptações de quadrinhos para cinema e televisão. Ele dirigiu Blade Trinity e é um dos roteiristas da trilogia Batman de Christopher Nolan.

Matt Ryan estrela a série e sua caracterização é bem fiel aos quadrinhos, tanto no visual quanto na performance. Ao contrário da versão de Reeves, vemos o cara que usa sobretudo laranja, camisa branca, gravata e que está sempre com um cigarro aceso. Quer dizer, quando dá, já que um personagem fumante inveterado não é bom para a audiência da televisão. Concordo.

Com a ajuda do amigo Chas (Charles Halford), que literalmente tem muitas vidas (graças a um feitiço de John), da bela vidente Zed (Angelica Celaya) e do anjo “Manny” (Harold Perrineau), Constantine enfrenta ameaças demoníacas que querem dominar o nosso mundo. E também algumas dezenas de criaturas que querem a cabeça do mago inglês, por digamos, conflitos passados.

gallerychar_1900x900_constantine_52ab6fb8242ac7-67239011

John Constantine nos Novos 52.

O ritmo dos episódios lembra bastante outra série, o sucesso Sobrenatural, já que a cada semana, feitiços e objetos místicos são usados contra as criaturas do mal. O caso é que os irmãos Winchester já estão no ar há bastante e tudo que veio depois deles, acaba com um certo tom de “mais do mesmo”. Ainda assim, a série se sustenta devido a vasto material que lhe serve de influência, afinal, são mais de trinta anos de histórias.

Mesmo não tendo o clima sinistro das edições Vertigo, os episódios abordam histórias assustadoras, principalmente, com possessões demoníacas e a eterna batalha entre o bem e o mal. E no meio do “fogo cruzado” Constantine com seu humor ácido e talento para causar problemas (mesmo que nem sempre a culpa seja dele).

A série possui muitas referências aos quadrinhos, como personagens, lugares e situações. A mais importante é sobre o passado de Constantine, quando ele e alguns amigos perderam a garota Astra para as forças do inferno, relembrando um dos momentos mais marcantes de toda a trajetória do personagem nos quadrinhos da Vertigo. O primeiro episódio é uma continuação direta deste evento.

unnamed

“Turma” contra o sobrenatural.

Mesmo com bons roteiros e efeitos dignos, a série não passou dos treze episódios, sendo cancelada. O personagem voltou no quinto episódio da quarta temporada de Arrow, o que pode significar um retorno à televisão. Já que o universo DC nas telinhas está indo bem, por que não investir em novas aventuras do mago inglês?

Na média geral, a série consegue alcançar o mesmo resultado de uma magia de controle da mente ou uma carteira “batida” com sucesso. Tudo graças ao seu protagonista que insiste em causar confusão seja no seu próprio mundo macabro e sombrio ou no universo dos super-heróis coloridos.

Constantine - Season Pilot

John Constantine (Matt Ryan).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s