“Mestre Kim” (1990).

showimage-2

A clássica edição Nº 1.

No final dos anos 80, a Rede Manchete de Televisão alcançava bons índices de audiência em sua programação infantil, principalmente, pela exibição dos seriados japoneses (tokusatsus). As aventuras de Jaspion, Changeman e companhia, não deixavam a criançada (eu era uma dessas crianças) desgrudar os olhos da frente da telinha. Assim era de manhã com o “Cometa Alegria” e à tarde com o “Clube da Criança”, à época, apresentado por Angélica.

A atração matutina contava com mais uma presença oriental, mas desta vez, vinda da Coréia do Sul. Era o mestre em Taekwondo Yong Min Kim, ou simplesmente, Mestre Kim como ficou conhecido pelo público. Ele apresentava um quadro em que ensinava movimentos da arte marcial às crianças, assim como dava bons conselhos aos pequenos.

Durante dois anos (1989-1990), o quadro foi exibido com relativo sucesso. Vendo potencial no “personagem”, a Bloch Editores, empresa do mesmo grupo da Manchete (ambas eram de propriedade do empresário Adolpho Bloch) lançou uma revista em quadrinhos.

scan0024

Yong Min Kim, o Mestre Kim.

Assim como Bruce Lee ou o Mestre do Kung Fu da Marvel Comics, Kim era um nobre guerreiro que viajava pela cidade de Seul, defendendo os fracos e oprimidos de toda e qualquer forma de injustiça. Em suas aventuras, ele enfrentava todos os tipos de vilões, desde ninjas a feras selvagens, passando por cientistas loucos, ditadores e mafiosos. Um detalhe interessante: ele dirigia uma Ferrari. Justiceiro, mas com estilo.

Nas sequências de combate, o mestre explicava alguns de seus movimentos, fazendo com que o leitor conhecesse mais sobre as artes marciais e sua importância. A primeira edição (que eu tenho em minha coleção) tinha como brinde um pôster do herói.

gibi-mestre-kim-n-3-editora-bloch-1990-461001-mlb20264395439_032015-f

As sequências de ação “ensinavam” alguns golpes.

gibi-mestre-kim-n-4-bloch-1990-22160-mlb20224917976_012015-f

A arte era um dos pontos altos da revista.

Os roteiros em sua maioria foram escritos por Antônio Ribeiro, que assinava como “Tony Carson”, e misturavam tramas de artes marciais, intrigas policiais e faroestes, especialidade dele, que havia escrito muitas histórias para quadrinhos e livros.

Um grande mérito nas edições eram as belas capas, desenhadas por artistas importantes dos quadrinhos nacionais, como Eugênio Colonese, que tinha um traço bem similar aos antigos gibis de faroeste, e Antonino Homobono Balieiro, que trabalhava para a editora em outros projetos. As histórias também eram marcadas por essas belas artes, que davam ainda mais dinamismo às aventuras.

Após o encerramento do programa e o cancelamento da revista, Mestre Kim seguiu com suas atividades na divulgação do Taekwondo pelo Brasil, se tornando membro do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e da Federação Mundial de Taekwondo, além de se manter como Presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo. Antes de ser conhecido pelo público, já havia trabalhado como instrutor da Academia de Formação de Oficiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, e participado de inúmeros torneios e competições nacionais e internacionais.

Um momento marcante na história dos quadrinhos brasileiros, que traz saudade para aqueles que puderam acompanhar as aventuras e aprender os ensinamentos do Mestre Kim. Quem sabe, alguma editora não traz esse material de volta? Seria uma ótima oportunidade de mais uma vez nos divertirmos com essas incríveis histórias de um herói genuinamente nacional.

Anúncios

4 comentários sobre ““Mestre Kim” (1990).

  1. O mestre Kim possui um grande legado. Como você disse, é um herói genuinamente nacional. Seria muito bom se esta revista voltasse a ser editada. As estórias eram simples e até ingênuas, mas cheias de moral e honra que faziam a garotada refletir. Aliás, tudo ligado a artes marciais entre os anos 70 e início dos 90 era sucesso garantido. Foi uma pena a revista ter apenas 9 edições. Parabéns pelo blog. Acho muito bacana manter viva essas raridades, essa cultura dos gibis e sua história, principalmente no Brasil. Se algum dia tu puder postar o scan dessa sua primeira edição seria um grande presente rsrs. Essa é clássica!!! Eu cheguei a digitalizar alguns gibis que tenho e disponibilizar no 4shared, para aqueles que quiserem baixar. Caso vc se interesse, seguem os links:

    Mestre Kim #2: http://www.4shared.com/zip/_sunxx4eba/Mestre_Kim_2_bloch.html

    Mestre Kim e Clássico das Artes Marciais: http://www.4shared.com/zip/Wm8mXjyRba/Mestre_Kim_e_Clssicos_das_Arte.html

    Clássico das Artes Marciais #14: http://www.4shared.com/zip/4fqy9jBUba/Clssicos_das_artes_marciais_14.html

    Clássico das Artes Marciais #09: http://www.4shared.com/zip/rrDtJ-53ce/Clssicos_das_artes_marciais_09.html

  2. Congratulações ao blog por este trabalho memorável! Que ótimo artigo sobre os saudosos gibis “clássicos das artes marciais” e “Mestre Kim”. Eu achei várias edições da revistas no site “Rock & Quadrinhos” disponíveis para download. Vida longa a este blog e grande braço!

    http://rockquadrinhosscans.blogspot.com.br/search/label/Cl%C3%A1ssicos%20das%20artes%20marciais

    http://rockquadrinhosscans.blogspot.com.br/search/label/Mestre%20Kim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s